Curso Certificado de Design em Permacultura (PDC)

Curso de PDC com Hélder Valente

Conceituado permacultor português que aprendeu com Bill Molinson, o fundador do conceito Permacultura

Informação acerca do curso em baixo e neste link

As inscrições no curso são feitas directamente para o email do formador Hélder Valente – maininfonsp@gmail.com

Partilha a amig@s


Programa do curso

O Curso Certificado de Design em Permacultura (PDC) é uma imersão intensiva no universo da Permacultura. Este curso destina-se a apoiar os alunos a desenvolverem uma linguagem ecológica, uma compreensão dos princípios básicos de design ecológico e regenerativo, com a aplicação deste conhecimento para redesenhar comunidades e assentamentos humanos de acordo com as regras da natureza.

O objectivo principal deste curso de design é o desenvolvimento de capacidades de designs eficazes através da aplicação prática de conhecimentos e ferramentas. Esta é a oportunidade de aprender através da participação num verdadeiro processo de design em comunidade.

O Curso cumpre o formato de 10 dias (intensivo), combinando aulas práticas e teóricas, passeios, jogos interactivos, actividades dinâmicas, partilha de experiências, vivência comunitária e muito mais. Este formato permite mergulhar nos princípios de design em Permacultura, que serão aplicados e apresentados pelos alunos nos trabalhos de design final.

Alguns dos assuntos a serem abordados neste curso:

  • A ética e os princípios da Permacultura
  • Estratégias de aprendizagem
  • Métodos educacionais
  • Ler a paisagem
  • Padrão em design
  • Biodiversidade
  • Preservação da água
  • Florestas e árvores
  • Construcção de solos
  • Climas
  • Edíficios e construcções naturais
  • Economias alternativas
  • Desenvolvimento da comunidade

Dias do curso

Dia 1 – Introdução à permacultura

Dia 2 – Como funciona o planeta

Dia 3 – Solos

Dia 4 – Água

Dia 5 – Planeta e árvores, hortas e florestas

Dia 6 – Tecnologias alternativas

Dias 7 e 8 – Social

Dias 9 – Design do festival e de projectos de permacultura

Dia 10 – Apresentação dos projectos e festa


Questões Frequentes

Caso a tua questão não se encontre aqui, por favor contacta-nos através do email info@festanca.org

Testemunhos


Acerca do Hélder e do seu trabalho

Para leres uma entrevista ao Hélder clica aqui

“A permacultura surgiu como uma resposta muito natural. No fundo, queria ser mais auto-suficiente, viver menos dependente de recursos externos.”

— Hélder Valente, Permacultor

BIO

O Hélder nasceu em Cinfães, uma vila de Viseu banhada pelo rio Douro, no seio de uma família que vivia da agricultura há várias gerações. Ainda era novo quando migrou com os pais para Lisboa e desde cedo se debateu para entender se pertencia ao campo ou à cidade. Ainda tinha presentes “todas as recordações das dificuldades de viver no campo” e isso afastou-o momentaneamente da agricultura. Queria ser artista.

E assim foi. Trabalhou como tatuador durante cerca de 10 anos, mas acabou por saturar-se: “Como artista, sentia todas as frustrações de estar fechado num lugar a desenhar e a ter de receber pessoas. A permacultura surgiu como uma resposta muito natural. No fundo, queria ser mais auto-suficiente, viver menos dependente de recursos externos.”

Então, começou a estudar. Tirou vários cursos relacionados com o tema, um deles com Bill Mollison, um dos criadores do conceito da permacultura, e fundou a Nova Escola de Permacultura, uma escola nómada que “foge aos velhos paradigmas do ensino”, promovendo uma “educação alternativa, criativa e empoderadora”. O objectivo, diz, “é que os estudantes falem mais e partilhem o conhecimento que têm em vez de estarem a olhar para o mestre, professor ou guru, detentor de toda a sapiência”.

O Hélder, que sempre se viu como “um revolucionário profissional”, está sempre atento ao aparecimento de ideias que explorem um novo sistema de vida. A sociocracia é uma das suas mais recentes paixões e é nesse conceito, adianta, que está o grande desafio da nossa civilização: “tomar decisões em conjunto e resolver os problemas de uma forma em que toda a gente sente que participa”.

Em Portugal, o Hélder já esteve envolvido em vários projectos, como a criação da Quinta do Vale da Lama, em Lagos, que promove a permacultura e agricultura regenerativa. O professor realça que “somos um dos países onde a permacultura está presente na Europa”, mas acrescenta que “o grande desafio continua a ser encontrar formas de trabalharmos em rede e de nos organizarmos colectivamente”: “Os portugueses são pessoas bastante emocionais e o trabalhar em equipa de forma pragmática não é tão fácil para nós [risos].”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *